All for Joomla All for Webmasters
830 AM
SINTONIZE
(48) 3464-3364
LIGUE
(48) 99630-6000
MANDE WHATSAPP

Saúde alerta para infestação de focos de dengue em cidade no Sul de SC

daba1841ef59d8b32b1c426fd282252880e95cd3
Foto: Reportagem RBS

O município Passo de Torres, no Sul catarinense, já é considerado pela Vigilância Sanitária como infestado por focos de dengue. Na cidade com cerca de 7 mil habitantes, foram encontrados 15 focos de criadouros do mosquitos. A preocupação dos agentes de saúde é que 30% das residências são de veraneio, sendo impossível verificar todos os potenciais locais de risco. Nenhum caso de dengue foi registrado, no entanto.

 “Nós ficamos preocupados que uma dessas casas possa ser o foco e nós não estamos conseguindo eliminar”, disse o agente da Vigilância Sanitária Cláudio José Daitz. O órgão instalou 35 armadilhas na cidade para verificar a presença da larva do Aedes aegypti. São pneus com água fechados, que semanalmente são vistoriados para ver o potencial da região. Cada vez que larvas são detectadas nos pneus, mais casas são vistoriadas no bairro.

A Secretaria Estadual de Saúde da regional de Araranguá, também Sul do estado, em parceria com a Prefeitura de Passo de Torres, afirma que realiza ações para controlar a infestação do mosquito. O órgão trabalha na capacitação das agentes comunitários de Saúde e professores da rede pública de ensino para instrução, combate e prevenção ao mosquito. O município também realiza um processo de contratação de agente de endemias.

Segundo a bióloga da Secretaria Estadual de Saúde, Sabrina Cardozo, o lixo é um dos lugares preferenciais para a colocação de ovos. “É um deposito preferencial para as fêmeas colocarem seus ovos. A gente chega em muitos imóveis e vê que tem muito lixo. Uma tampinha de refrigerante já é suficiente para ser um criadouro”, alega.

Atenção em Itajaí
A Secretaria de Saúde também está em alerta com Itajaí, município da região do Vale do Itajaí. Em 2013, três focos foram registrados na cidade. Até este mês de outubro de 2014, 170 focos foram detectados por agentes de saúde. Ao todo, 600 armadilhas estão espalhadas na cidade em pontos estratégicos.

Uma série de medidas preventivas é feita pela prefeitura. A cidade já registrou este ano um caso de dengue autoctone, ou seja, contraída por mosquito que se proliferou no município e um caso de dengue de uma pessoa que se infestou fora do estado. A época de reprodução mais rápida do mosquito é o verão, o que alerta para um risco iminente no local.

Confira a reportagem clicando aqui

Fonte: G1

Sobre o autor

Comente!